Dois mil e quinze

, , No Comments
O que dizer sobre este ano que passou? Eu andei pensando sobre tudo o que me aconteceu neste ano.
Coisas boas e ruins. Eu não sei colocá-las na balança e dizer se o ano foi melhor ou o pior da minha vida. Foi um ano meio a meio, sabe?
Tive altos e baixos. Alegrias e tristezas. Perdas e ganhos. Choros e risos. Foi quase que na mesma medida tudo isso. E eu não sei dizer como me sinto sobre isso.
Foi um ano basicamente que fiz novos amigos, perdi alguns. Descobri coisas que eu não gostaria de saber. Perdi alguém próximo por motivos estúpidos e um outro alguém por doença.
Fiquei em dúvida sobre quem eu realmente sou. Alguém com bom coração ou sem.
O ano em que deixei a terapia, ou melhor, fui liberada dela. Um ano em que entendi que fé é um dom que definitivamente não fui agraciada.
Eu não sei, mas este ano nenhuma das festas tradicionais me fez sentido. Nem mesmo meu aniversário. Eu não comemorei, nem ao menos senti vontade.
Mas nem tudo foi ruim. Em meio a tanta tempestade, eu ganhei uma sobrinha. Linda, maravilhosa, algo que alegrou meu ano.
Entre as maiores dúvidas deste ano, a maior delas foi o que era realmente amor. E se eu realmente já amei alguém. A conclusão final? Eu acredito que não. O que me fez pensar se eu era alguém 'ruim'.
Talvez não seja, talvez seja. A vida é feita de escolhas, decisões. E dentre muitas destas decisões, eu fiz boas e ruins. E no caso das ruins, posso dizer que foram péssimas.
Tive conflitos internos e externos, coisas que eu realmente não consegui ainda entender nem resolver. Estou aos poucos tentando lidar com tudo isso, é complicado.
Resumindo muita coisa, este ano foi um ano de ensino. Aprendi muita coisa e finalmente decidi a faculdade que desejo cursar. Finalmente uma coisa em minha vida tenho certeza.
A única coisa que ainda não sei é o que fazer na meia-noite do dia 31 de dezembro.
Devo chorar por algo ruim que aconteceu este ano? Agradecer? Pedir que 2016 seja diferente?
Ainda não sei. Não consigo decidir se este ano foi bom ou ruim. Porque na verdade, foi apenas mais um ano.
Postar um comentário