Ao coração despedaçado

, , No Comments
Sem esperanças, que sonha um dia em ter seu amor. Esse texto se dirige a você.
Todos nós passamos por épocas ruins, momentos de dores, de tristeza, de perda. E tantas vezes passamos por isso, que aos poucos esperança desaparece, certo? E nos calamos em frente ao que se ocorre, mas a verdade é que temos medo de confrontar, de lutar contra o medo de conhecer algo novo. Por tantas vezes ferido, fechamos o coração, agimos tão racionalmente para nos proteger de algo que na verdade, não sabemos ao certo como será.
A escolha de amar e viver, e não apenas se sentir vivo, é para os corajosos. Aqueles que querem sentir a vida de verdade, que gostam de arriscar, de tentar, de se jogar.
O que acontece também é ficarmos presos ao saudosismo. Esperar no fundo de tudo, que aquilo que já vivemos aconteça novamente da mesma forma. Mas, para ser realista, se já aconteceu uma vez, porque ocorreria outra vez? É viver de expectativas, alimentar algo que não vai acontecer.
Porque, por exemplo, no seu antigo relacionamento você era totalmente diferente da pessoa que é agora, nada pode ser igual, nada é par na vida. Tudo é um momento ímpar, único.
Por isso, agarrar cada chance que aparece em sua vida é essencial, é viver!
Com medo? Enfrente-o! Sem forças? Ânimo! Sem ânimo ou vontade de viver? Lembre-se de que é melhor viver cada instante do que simplesmente estar vivo.
Façamos como a fênix que se renova quando está velha, a beira da morte. Ela renasce das suas cinzas e voa novamente para longe, ou também, como a águia que voa até a montanha mais alta, tira as penas antigas, quebra seu bico, passa por um processo duro e doloroso e volta de lá renovada.
A vida é feita de renovo, de novas sensações, novos ares, de novidades!
Então recomece! Aceite aquele convite para um café, conheça o novo museu da cidade, vá ao cinema e veja aquele filme que tanto quer, experimente ir aquele restaurante que sempre passava na frente, experimente viver um pouco.
Postar um comentário