Nem todos os poetas

, , No Comments
Talvez nem todos os poetas estivessem errados.
Segundo Bukowski, sim esse velho safado, o amor é o cão dos diabos. Segundo Shakespeare, o amor é um marco eterno, dominante. Para Fernando Pessoa, o amor não sabe se revelar quando se revela. Já para Vinicius de Moraes, amar é não sofrer nunca mais.
Todos eles, em épocas e visões diferentes estão certos. Amar definitivamente não é fácil. É aceitar o erro do outro, o silêncio, o afastamento, é aceitar muitas coisas sem proferir uma única palavra.
Amar pode ser de certo modo divino, uma coisa fora do normal, mágica.
Sob meu ver, amar é tanto um como outro poeta diz. É uma junção, uma mistura de coisas.
Mas principalmente, amar é quando decidimos tomar um rumo diferente na vida e sair da rotina. Amar é contradizer o que está feito, é fazer tudo diferente. É recomeçar.
Nas últimas semanas me sinto diferente, talvez apaixonada. É assustador se sentir assim. É se sentir aberta, pronta para dar a cara a tapas, dado pela própria vida. É também confuso e estranho.
Não me sentia assim há um bocado de tempo, na verdade, não sei como agir. em o que falar nem me expressar direito.
Todos nós temos defeito, certo? Pois bem, eu nasci com esse pequeno defeito na área emocional. Não saber se expressar é uma droga! Mas já me ''salvou'' de muita coisa.
Ontem assistindo Amelie Poulain, eu me vi na personagem, eu precisava agarrar ou pelo menos aprender a agarrar as chances que a vida me oferece.
Porque no fim da vida, eu vou me sentir a pessoa mais desprezível da Terra simplesmente pelo fato de nunca ter expressado meus sentimentos.
É engraçada essa luta interna minha. A luta com meus eus. É muito difícil admito, mas ninguém nunca me disse que seria fácil crescer e tentar agir como uma adulta. Tudo aprece mais difícil, mais racional que emocional, mas é uma luta diária que preciso vencer. Sempre.
Postar um comentário