Poço de desilusões.

, , No Comments
Talvez eu esteja mesmo um pouco perdida, sem rumo, sem saber o que fazer. Uma mistura louca desses sentimentos, sem ao menos saber o que sentir direito. Confusão eterna de pensamentos, sem nunca chegar a uma conclusão final. Sim, eu sou bem perdida. Em quase tudo, as vezes penso que deveria ter um gps na minha vida pra saber que rumo tomar.
Muitas vezes me acho fria demais, com uma pedra no lugar do coração. Mas aí eu vejo aquela pessoa, a única, que me desperta sentimentos e aí eu já não entendo mais nada. Não me sinto tão viva, como isso pode acontecer? Há veneno correndo em minhas veias. Me diga como se libertar? Como pode me infectar?
Há vozes confusas em minha mente. Há muito tempo quebrei a linha da loucura. Não foi somente um coração quebrado. Eu queria beber, beber para esquecer, me drogar, fazer o cérebro fritar e entrar no sono eterno, mas nada disso bastaria para tirar aquilo da minha mente!
Eu prometi nunca te abandonar, mas não tive escolhas. Eu jurei até que a morte nos separe, mas a morte da minha alma me tirou mais cedo de perto de ti. Eu já não sentia a chuva cair sobre mim, muito menos a grama viva sob meus pés. O que eu posso fazer?!
Talvez o meu conto de fadas não termine bem, não tenha final feliz. A realidade é bem mais dura e faz questão de te dar socos no peito para te reanimar. Toda alma tem duas metades, mas isso não significa que foram feitas para ficar juntas para sempre. O para sempre não existe fora dos livros, é balela, conversa para criança dormir. O que é real, o que realmente existe é a dor. E ela é que te faz sentir viva! No final o vilão sempre ganha. O lobo mau destruiu as casas dos porquinhos, devorou a vovó e aqui estou eu, alvo fácil a ser dilacerada pela realidade.
Postar um comentário