Liberdade

, , No Comments
O lugar era novo, me senti ligeiramente perdida.
Era no meio do nada. Uma espécie de ferro velho. Talvez você ache estranho, mas eu me senti bem ali.
Ali eu poderia ser o que que quisesse, sem cuidar de nada. Apenas me divertir.
Ninguém me julgaria pela roupa ou pelo o que eu estava cantando. Ninguém ligaria se eu pulasse ou ficasse tirando fotos toda hora.
Eu me senti livre, eu podia fechar os olhos, respirar fundo e me sentir viva de novo. Sem o peso dos problemas, sem preocupações. Eu olhava para o céu e via as estrelas, estrelas as quais eu já não via brilhar há séculos. Eu senti minha alma reanimar-se dentro de mim. Senti meu coração bombear sangue para minhas pernas e então eu pulei, dancei e gritei. Aquilo era libertador.
Quantas vezes a rotina do dia a dia te aprisona? Foucault dizia sempre que ''liberdade é escolher ao o que se fica preso'', e com certeza minha liberdade não estava ligado a minha rotina!
Eu precisava tanto daquilo como respirar fundo o oxigênio quando se dá um longo mergulho...
Eu precisava de novos ares, novas pessoas, novos sorrisos e talvez até novos amores.
A vida é feita de planos, mas nem todos são realizáveis. E a vida também é feita de surpresas. Não há destino definido e sim, a corrida pelos sonhos. A alegria de uma realização, as lágrimas de alegria daquela conquista tão almejada. Mas não me preocupo com isso agora, não agora.
Agora minha alma está reanimada, se adaptando ao corpo novamente. Meu coração voltou a bater, é hora de viver novamente. É hora de realizar meus sonhos. É hora de viver minha liberdade!!

Postar um comentário