Sensibilidade

, , No Comments
É incrível como alguns fatos nos deixam mais sensíveis do que nunca.
Ontem eu estava deitada no sofá, ouvindo música bem baixinho e quase dormindo. De repente minha mãe veio do quarto, jogou a extensão em cima da minha cama e eu disse que ela não precisava jogar também e dei uma risada. Ela no mesmo instante gritou comigo. Não entendi na hora. Apenas peguei minhas coisas e deitei na minha cama. Fiquei ali quietinha.
Hoje de manhã, ela me ligou e me pediu desculpas, eu consenti. Por quê? Porque acima de tudo ela é minha mãe, minha guerreira, minha rainha. E outra, porque estamos num tempo difícil mesmo. Estamos em um período de tragédias e luto. De tristezas e choro. Eu não fico sensível quando estou mal, apenas fico calada. Mas não o meu jeito de as vezes ser calada e sim aquele calado gélido. Frio. Sem ânimo. Eu sou assim. Melancólica. Esse é meu jeito, meu ''gênio''.
Cada um linda de uma forma com os problemas: estouram, gritam, choram, quebram tudo. Eu? Eu fico no meu quarto, deitada, nem chorando, nem rindo. Apenas torcendo pra que todo aquele sentimento ruim vá embora logo! Sou do tipo que não explode rápido, mas sim do tipo que sofre calada. Mas quando chora ou explode, é tudo aquilo que ficou há séculos guardado. Acho estranho, as vezes insensível meu jeito de ser, mas é assim que sou. E é assim que tenho que me amar, sensível ou não...
Postar um comentário