Sim, eu amo você!

, , No Comments
Sim, seu sorriso é enigmático. Não posso mais negar isso. Seria enganar meu motivo de alegria destes últimos dias. Seu abraço é tão reconfortante. Admito que não estar com você é como se eu não existisse, ou pelo menos a melhor parte de mim não existisse.
Longe de você me sinto deslocada, triste e perdida. Longe de você o brilho do olhar desaparece e meus lábios já não se tornam na curva perfeita de um sorriso. Longe de você minha alma fica apagada, como se sentisse ou melhor como se faltasse uma parte dela.
Sei que muitos dizem que não existe alma gemea, mas eu acredito que há.
Existe aquela pessoa que vai te fazer chorar de tanto rir, vai estar ao seu lado quando você ficar triste. Vai segurar sua cabeça eu seus colo e passar a mão em seu cabelo.
Aquela pessoa que não vai hesitar em estar contigo mesmo quando você parecer desfalecer. Quando seu mundo desmoronar sobre sua cabeça, essa pessoa estará lá pra te dar a mão e mais que isso, sustentar seu mundo em seus próprios ombros.
E muito ao contrário do que dizem por aí ou diferente do que muitas pessoas fazem ou buscam, o amor ainda existe. Ele está entre nós de forma camuflada. Por quê? Porque ele é algo fragil, que pode facilmente ser dilacerado. E muitas vezes não compreendido por nós.
Um dia estava eu sentada num banco na praça da cidade observando tudo e todos. Observei um casal de velhinhos e sinceramente eu fiquei emocionada. Eles estavam de mãos dadas, apenas um do ladinho do outro, sem proferir uma só palavra, mas eu percebi no olhar deles a chama do amor e da paixão.
Já outra coisa que também observei, foi um jovem casal de adolescentes. Estavam prestes a entrar na estação-tubo de onibus e estavam discutindo. Não cheguei a ouvir o motivo, pois estava com meus fones de ouvido, mas pelo que parecia era algo sério.
Comecei a observar eles, mas com o pensamento no outro casal. E o que me veio a mente que o primeiro casal: eles são de uma época mais antiga, como minha avó uma vez me disse, onde se aprendia a concertar o que estava quebrado.
E hoje em dia não: se você quebrou ou simplesmente 'enjoou' daquilo, você joga fora.
O que mais aprendi naquela tarde? De que o amor de verdade perdura uma vida toda. E que paixões não duram nem o tempo suficiente para serem lembradas...
E o que mais me emocionou naquela tarde foi ouvir aquele casal de velhinhos trocar olhares e dizer um verdadeiro ''Eu te amo'' transbordado de sinceridade.
Postar um comentário